Sergio Germinari
Sergio Germinari
Você não precisa conviver com as dores

“Text Neck” : Uma Epidemia Global

20_nov_-_02_-_sms_-_01 O termo Text Neck’ é uma preocupação de saúde a nível mundial, afetando milhões de todas as idades e de todas as esferas da vida. Uso excessivo da tecnologia móvel portátil está resultando em uma condição física nocivos e perigosos sobre o corpo humano, que é conhecida como texto Neck.
O termo, e a condição de saúde, é derivado do início da degeneração espinhal cervical decorrente do estresse repetido de flexão freqüente cabeça para a frente, enquanto olhando para as telas de dispositivos móveis e “mensagens de texto” por longos períodos de tempo. Enquanto ‘Text Neck’ é certamente um novo termo médico, a condição está afetando milhões e é uma crescente preocupação global.
Dos seis bilhões de pessoas no mundo, mais de quatro bilhões têm telefones móveis. Texting tornou-se a forma dominante de comunicação. Mais de um bilhão de mensagens de texto são enviadas a cada mês em todo o mundo. Em média, os americanos gastam 2,7 horas por dia se comunicar e socializar em seus telefones, e ainda mais tempo olhando para seus dispositivos móveis para busca na internet e muitos outros usos.
Enquanto 75% da população do mundo gasta horas por dia debruçado sobre seus dispositivos portáteis, com as cabeças flexionada para a frente, todos eles estão em perigo constante e em risco de desenvolver Texto Neck. A flexão anterior freqüente provoca alterações na coluna cervical, curva, ligamentos de suporte, tendões e musculatura, bem como os segmentos ósseos, comumente causando a mudança postural. Entre as principais queixas associadas com texto Neck são dor sentida no pescoço, ombro, costas, braço, dedos, mãos, pulsos e cotovelos, bem como dores de cabeça e dormência e formigamento das extremidades superiores.

Se não tratada, Texto pescoço pode resultar em danos graves e permanentes, incluindo:

– O achatamento da curva de Spinal aparecimento de artrose precoce.

– Degeneração espinhal Desalinhamento.

– Hérnia de Disco Disco Compressão.

– tensão sobre os muculos, tendões, ligamentos e capsulas articulares.

dores de cabeça crônica, dores nas costas, dores no ombro e dores no pescoço.

- Perda de volume  Capacidade pulmonar e problemas Gastrointestinais.

Você sabe o que é iPostura?

Você tem sofrido com a iPostura? Tablets e smartphones estão causando uma epidemia de dor nas costas devido a postura que as pessoas têm adotado para utilizá-los.

Esse termo soa mais como um novo aplicativo da Apple, porém a “iPostura” está sendo responsabilizada por um nível alarmante de dor nas costas entre os jovens de 18 a 24 anos. Cerca de 84% desses jovens admitiram ter sofrido com dor nas costas no ano passado, em uma pesquisa realizada pelo Simplyhealth.

A dor nas costas na população
Mais da metade da população mundial tem ou terá alguma experiência de dor no pescoço ou nas costas a cada ano. E as pesquisas demonstram que os jovens de hoje perdem mais dias úteis por ano com dor nas costas do que os da geração de seus pais.

A influência dos smartphones, tablets e computadores
É provável que a inclinação sobre computadores e dispositivos portáteis seja um fator que contribui para os diferentes tipos de dor nas costas relatados por diferentes gerações. Sendo que, os mais jovens, são mais propensos a se debruçarem sobre um dispositivo no sofá, e se beneficiariam de prestar atenção aos princípios da boa postura.

Os resultados de estudos também mostram que quase todos os grupos etários gastam muito mais tempo na frente de uma tela de computador, laptop ou tablet no total do que dormindo na cama, alguns até mais. O jovens, por exemplo, permanecem cerca de 8,83 horas por dia em frente aos aparelhos eletrônicos.

Os jovens de 18 a 24 anos também são muito mais propensos a qualquer desleixo na frente de seu computador ou outros dispositivos. Pois, mesmo que os adultospermanecem muitos horas em frente aos computadores e demais dispositivos, tanto em casa, como no trabalho, estes se atentam mais à postura do que os jovens.

colunaa

A boa postura pode começar com um bom exemplo
Parte do problema pode ser uma falta do conselho à moda antiga, pois parece estar em declínio dizer aos mais jovens para sentar-se adequadamente na frente do computador.

Os pais de hoje são muito menos propensos a dizer a seus filhos para se sentarem e ficarem em pé. Quase dois terços dos entrevistados na pesquisa disseram que nunca deram este conselho às suas crianças.

O tempo atual propicia o reconhecimento, por parte dos pais e mais velhos, do seu potencial para ajudar as pessoas mais jovens a não correrem o risco de dor nas costas associada ao aumento do uso de dispositivos portáteis.

Como evitar a dor nas costas?
Estar ciente que você está curvando ou inclinando sobre seu tablet ou smartphone é metade da batalha.

A outra metade é combater esse mau hábito e da dor em potencial que pode gerar, sempre sentando com as costas retas, com o seu dispositivo em uma posição confortável, a uma altura razoável na sua frente.

Fonte: Espaço Dr. Coluna.

Protusão Discal – Sua definição, Causas e Sitomas

image

O que é Protrusão discal

O Dicionário Médico Ilustrado Dorland define a hérnia como sendo a protrusão anormal de um órgão ou outra estrutura do corpo através de um defeito ou uma abertura natural em um invólucro, cobertura, membrana, músculo ou osso. Portanto, toda hérnia é uma protrusão. Mas nem toda protrusão é uma hérnia.

Para que se constitua em hérnia, a protrusão deve ir além da abertura natural do invólucro, cobertura, membrana, músculo ou osso; ou rompê-lo. Essa é a diferença entre protrusão discal e hérnia de disco. Na chamada protrusão discal, o disco não rompe o anel fibroso. Na hérnia discal ocorre ruptura do anel fibroso em volta do disco intervertebral, e projeção do disco além desse anel, saindo da cavidade que o contém, conforme mostrado na figura abaixo.

Sintomas

Esta lesão é caracterizada por dor local, que é aumentada pelo tossir e espirar, pelo espasmo da musculatura paravertebral e antalgia da coluna lombar. Quando ocorre pressão nas raízes nervosas vertebrais, cria-se uma dor que se irradia pela perna. Essa compressão nervosa pode acarretar déficit de força muscular nos membros inferiores

Os sintomas mais comuns são: Parestesias (formigamento) com ou sem dor na coluna, geralmente com irradiação para membros inferiores ou superiores, podendo também afetar somente as extremidade (pés ou mãos).

Causas

Sofrer exposição à vibração por longo prazo combinada com levantamento de peso, ter como profissão dirigir e realizar freqüentes levantamentos são os maiores fatores de risco pra lesão da coluna lombar. Cargas compressivas repetitivas colocam a coluna em uma condição pior para sustentar cargas mais altas, aplicadas diretamente após a exposição à vibração por longo período de tempo, tal como dirigir diversas horas. (Magnusson ML, Pope ML, Wilder DG, 1996)

Entre fatores ocupacionais associados a um risco aumentado de dor lombar estão:

  • Trabalho físico pesado
  • Postura de trabalho estática
  • Inclinar e girar o tronco freqüentemente
  • Levantar, empurrar e puxar pesos
  • Trabalho repetitivo
  • Vibrações
  • Psicológicos e psicossociais

(Adersson GBJ,1992).

Diagnóstico e exame

O diagnóstico pode ser feito clinicamente, levando em conta as características dos sintomas e o resultado do exame neurológico. Exames como raio-x, tomografia e ressonância magnética ajudam a determinar o tamanho da lesão e em que exata região da coluna está localizada.

Fonte: ITC Vertebral

Onde é a dor da Hérnia de Disco?

Ciática

Dores, fraquezas, dormências… Você já sentiu estes ou outros sintomas que causam profundo desconforto, mas ainda não descobriu, ao certo, o que há de errado com a sua saúde. Você já até ouviu falar em hérnia de disco, porém, não sabe ainda identificar se é ela a responsável por esses sinais no corpo. Onde é a dor da hérnia de disco, afinal?

Você sabe como surge a hérnia de disco?

Os ossos (vértebras) da coluna vertebral são separados por discos, responsáveis pelo movimento entre as vértebras e, consequentemente, por permitir nossas ações de se curvar ou se alongar. São as vértebras que protegem os nervos que descem pelas costas formando a medula espinhal. Por alguns fatores, o disco pode sair do lugar ou se romper, quando ocorre essa ruptura, parte do núcleo pulposo – material gelatinoso que funciona como um amortecedor – do disco intervertebral é empurrada para fora do seu limite normal, comprimindo os nervos espinhais e gerando os sintomas da hérnia de disco.

Podem ser considerados fatores de risco para o surgimento da hérnia de disco: avanço da idade, tabagismo, obesidade, posturas inadequadas, atividades repetitivas no trabalho ou no dia-a-dia, levantamento de cargas muito pesadas, dentre outros.

Principais sintomas da hérnia de disco.

Na maior parte dos casos, a hérnia de disco surge na região inferior da espinha (coluna lombar) e nos discos cervicais (pescoço), áreas que suportam maior carga e são mais expostas aos movimentos.

Em alguns casos, a hérnia de disco é assintomática, mas quando gera sintomas, estes estão, necessariamente, relacionados à região na qual a raiz nervosa sofreu a compressão. Dentre os sintomas, podemos destacar:

– Dor que pode irradiar;

– Formigamentos e dormências;

– Fraqueza muscular;

– Perda de sensibilidade.

Nesse caso, uma hérnia de disco cervical pode manifestar esses sintomas em regiões como pescoço, ombros, escápula, tórax, braços e dedos e a hérnia que surge na coluna lombar pode afetar as costas, as pernas e as nádegas, por exemplo.

No estágio mais crítico da hérnia de disco, podem surgir problemas no intestino ou na bexiga, gerando problemas para urinar ou evacuar, além de causar dormências em torno de órgãos genitais.

Hérnia de disco na região lombar:

– Dor aguda em uma parte da perna, quadril ou nádegas;
– Dormência em outras partes;
– Dor ou dormência na parte posterior da panturrilha ou na planta do pé e pode ainda haver fraqueza nessa mesma perna.

Hérnia de disco no pescoço:

– Dor ao mover o pescoço;
– Dor profunda próxima à escápula ou sobre ela;
– Dor que se irradia para o braço, antebraço ou dedos (raramente);
– Pode apresentar também dormência nos ombros, cotovelo, antebraço e dedos.

Vale ressaltar que os sintomas da hérnia de disco variam de um indivíduo para o outro e a permanência deles também. Os sintomas podem surgir e desaparecer espontaneamente, retornando em intervalos imprevisíveis ou podem ser constantes, não desaparecendo em nenhum momento e por um período de longa duração.

Se você apresenta uma dor muito intensa nas costas que nunca passa, sente qualquer dormência, já percebeu perda de movimentos, fraqueza ou alterações de hábitos urinários e intestinais é indispensável a procura por ajuda médica, pois os riscos de hérnia de disco são grandes.

Fonte: Site Hérnia de Disco.

Terapia manual é eficiente para acabar com a dor.

cervical1

O estresse, a postura inadequada ou mesmo um movimento brusco, são as principais causas de dores que atingem as costas de centenas de pessoas, mais precisamente toda a extensão da coluna vertebral, desde cima onde tem início na cabeça e desce pelo pescoço, até embaixo, no quadril.

Dependendo do grau do problema e de sua causa, uma simples sessão de Terapia Manual é capaz de pôr fim a dor do paciente.

Caso isso não seja possível, o tratamento é gradativo, agindo tanto no combate a dor como chegando a causa dela, sendo assim possível cura-la.

“A Terapia Manual é uma técnica da fisioterapia que utiliza os movimentos do próprio paciente no alívio da dor e na recuperação da função. Ela usa como instrumento as mãos do fisioterapeuta, que estará trabalhando para tratar as disfunções, normalizar os tecidos, restabelecer a mobilidade articular e devolver saúde ao organismo”, explicou a fisioterapeuta Dra. Vivian Maria da Silva Ziroldo, especialista em Terapia Manual que integra a equipe da Cosenza Fisioterapia.

A Terapia Manual classifica as algias da coluna em três diferentes categorias, veja quais são: Síndrome Postural – é a deformação mecânica de origem postural que promove dor, devido os tecidos do redor dos segmentos da coluna estarem submetidos a estresses decorrente de má postura, sendo que neste caso, o tratamento tem como objetivo a correção e orientação postural; Síndrome da Disfunção – os tecidos ao redor dos segmentos vertebrais apresentam-se encurtados ou fibrosados. Ao realizar um movimento normal, esses tecidos são submetidos a alongamento, gerando aumento de tensão e dor, neste caso o tratamento consiste no alongamento de partes moles através de pompagem (utilização apenas dos dedos do fisioterapeuta); e Síndrome do Desarranjo – ocorre uma desestruturação das superfícies articulares das vértebras. Pequena profusão do disco intervertebral pode provocar a limitação de movimentos e causar deformidades. o tratamento neste caso é aplicado à redução do disco, recuperação da função, prevenção e orientação postural.

Mas para que seja feito o tratamento correto através da Terapia Manual, ou em casos específicos que o fisioterapeuta opte por outro tipo de tratamento, até mesmo indicando um outro profissional ao paciente, é fundamental que ocorra uma avaliação completa, onde será possível diagnosticar o ponto da dor, ou pelo menos a provável causa.

Tudo vai depender do diagnóstico, pessoas que respondem bem à técnica são aquelas que sofrem de dores agudas, subagudas ou crônicas da coluna vertebral.

Fonte: Folha de Mirassol Online

Terapia Manual

mãos

—O termo “Terapia Manual” segundo a definição da IFOMPT (International Federation of Orthopaedic Manipulative Physical Therapists) a Fisioterapia Manipulativa Musculoesquelética ou Terapia Manual Ortopédica é uma área de especialização da Fisioterapia que lida com o manejo de condições neuro-músculo-esqueléticas, embasada no raciocínio clínico, usando abordagens de tratamento altamente específicas.

— A História da terapia manual: Os primeiros relatos do uso da manipulação vertebral no ocidente provêm do Grego Hipócrates 400 AC. De lá para cá a Terapia Manipulativa enfrentou momentos de total descrédito contrastando na atualidade, com uma ampla aceitação de sua eficácia no tratamento de problemas musculoesqueléticos. Durante o século XVIII na Inglaterra a terapia manual era praticada apenas por leigos chamados de Bone-setters ou “ajeitadores de ossos’’. —A maioria dos Médicos da época era contra o uso indiscriminado da manipulação devido aos resultados desastrosos no tratamento de articulações com patologias infecciosas como a tuberculose. No século seguinte na América do Norte, esse distanciamento entre a terapia manual e a medicina ortodoxa contribuiu para o aparecimento de filosofias alternativas de tratamento como a Quiropraxia e a Osteopatia.

—Hoje felizmente a utilização da terapia manual no tratamento de disfunções musculoesqueléticas ganhou o devido respeito e isso se deve em grande parte ao empenho dos Fisioterapeutas Manipulativos. Os Fisioterapeutas começaram a praticar a manipulação vertebral no princípio do século XX na Inglaterra. Em 1974 um grupo de Fisioterapeutas pioneiros fundou a IFOMPT (Federação Internacional de Fisioterapeutas Manipulativos Ortopédicos) o que proporcionou um grande impulso ao desenvolvimento da especialidade.

—O que diferencia a Fisioterapia Manipulativa de outras abordagens terapeuticas? Em poucas palavras podemos afirmar que o grande diferencial da Fisioterapia Manipulativa é a utilização do modelo de prática baseada em evidência.

—Fisioterapeutas manipulativos são encorajados a utilizar o raciocínio clínico aliado à busca por evidências científicas em sua prática clínica diária sem esquecer da importância da abordagem biopsicosocial do paciente. Com essa filosofia de tratamento aliando a arte e a ciência, a Fisioterapia Manipulativa vem contribuindo para a evolução da terapia manual no tratamento de disfunções musculoesqueléticas.

— A Definição para a “terapia manual consiste em uma ferramenta de tratamento que se utiliza de recursos manuais para interferir nas estruturas e na função do organismo, obtendo assim os resultados desejados através da autocurra e autorregulação do corpo quando este apresenta algum processo patológioco. Seus princípios esta fundamentada em sólidos conhecimentos de anatomia, fisiologias, biomecanica e cinésiologia permitindo assim a nós profissionais que lide com os tecidos e estruturas do organismo de uma forma extremamente hábil”.

Os Objetivos da Terapia Manipulativa são:

—a) Identificar e corrigir disfunções de movimento nas articulações da coluna vertebral, membros superiores e membros inferiores.

—b) Entender a relação entre as alterações do movimento normal com a má função dos componentes articulares, sistema nervoso e sistema circulatório.

—c) Avaliar e corrigir desequilíbrios posturais e biomecânicos através de técnicas manipulativas, técnicas de mobilização dos tecidos e posturas de alongamento.

—d) Aplicar os conceitos de fisioterapia manipulativa em todos os tipos de queixas de dores músculo-esqueléticas, reumatológicas, ortopédicas, traumatológicas.